Arquivo da tag: poema

Tampa Coração

cora     ção Lembra do cantinho com teu nome? Das orelhas dividindo o mesmo fone? Daquele olhar que acaba até com fome? Tudo cantinho coração. coração Lembra das bochechas encovadas? Das cócegas destinadas À minha boca escancarada Num sorriso … Continuar lendo

Publicado em Freico Nordon, Poema | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

VereDicto Popular

  Veja, olhe, mude! Sem eira e nem beira me sirvo de asco pasto e flor de laranjeira. Sei que falar é prata, e calar é ouro mas existem louros além dessa fronteira. Desgraça pouca é bobagem para bagagem de … Continuar lendo

Publicado em Base de raciocínio, Freico Nordon, Poema | Marcado com , , | 2 Comentários

Tinta do poema acabou!

  Fui escrever poema e me debandei! Oche!Quero sentir!? Quero versar? Palavrear pra que? Se tudo que sai Da minha Bic É tinta, mais querer!? Foi então que a tinta acabou Olhei pro lado, pro outro Chorei suor dos dedos … Continuar lendo

Publicado em Base de raciocínio, Freico Nordon, Poema | Marcado com , , , | 2 Comentários

Enquanto um tal de Graciliano

Enquanto o regionalismo era ferido, Nascido em berço Quebrangular Dava as caras, franzino Ramos Encaminhando, deliberadamente, o curativo à chaga. Leiaa! Enquanto o deleito sobre amores banais Compreendiam a poesia suada duns puritanos, Um tal dum Graciliano suava a compreender … Continuar lendo

Publicado em Base de raciocínio, Freico Nordon, Poema | Marcado com , , | Deixe um comentário

A Ironia da Lógica: Razão

Definitivamente, o ser humano não é apenas um monte de carne, com pele, órgãos, nervos e veneno… Ser humano é um montante de sentimento incrustado numa carapaça que lhe faz real: seu rosto, seu corpo, mas apenas isso, de resto … Continuar lendo

Publicado em Base de raciocínio, Crítica, Freico Nordon, Poema | Marcado com , , , , | 4 Comentários