Arquivo da categoria: Base de raciocínio

O Aposto do Oposto

O leite derrama Alguém reclama. Gasolina aumenta Alguém se esquenta O time perdeu Alguém se fodeu Fruto caiu Fazendeiro nem viu O mito mudou Ninguém ligou A noiva fugiu O noivo rugiu A sogra chegou O genro irritou O banco … Continuar lendo

Publicado em Base de raciocínio, Crítica | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Caruncho era feijão, órfão de prato, ainda brotinho preto em grão. Pra ele, coisa mais linda era ser soja. feijão Caruncho, por ser preto medrava com medo da loja que vendia feijão preto sem apresso, a preço de esponja e … Continuar lendo

Publicado em Base de raciocínio, Poema | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Infantil Adulterado!

O ser adulto é inteiramente chato e repetitivo. Vou explicar por quê. Quando crianças vivemos nossos maiores sonhos em segundos, cultivamos nossas amizades por anos e somos felizes por uma reprise de Chaves ou um troco que a mãe nos … Continuar lendo

Publicado em Base de raciocínio | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

O Silêncio do Poeta é a Canção das Ideias

A poesia é suja e não tem culpa disso, sua raiz é suja! Imunda! Já encontrou algum poeta que nascera do regozijo de um sorriso ou de um gozo de felicidade? A felicidade do poeta é sofrer. Os grandes poetas … Continuar lendo

Publicado em Base de raciocínio, Crítica, Poema | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Bobo!

Sabe, o amor deixa qualquer coisa bonita, cheirosa, maculada e expressiva. Diga-me alguém, que vivenciando um amor, enxerga total escuridão! Isso mesmo! Não existe. Porque quando se ama, o ser abobece, sim, provavelmente este termo não exista, todavia sei que … Continuar lendo

Publicado em Base de raciocínio, Poema | Marcado com , | Deixe um comentário