A Rua Moça

 

RUA RUA RUA RUA RUA RUA RUA RUA RUA

A rua fria
se cria.
A rua moça
A rua estreita
A rua espreita
a sua foça.
A rua bela
A rua zela 
a lua Azul.
RUA RUA RUA RUA RUA RUA RUA RUA RUA
A rua torta
A rua enforca
a sua vida
a sua lida
A rua brisa
A rua Lisa
A rua espia
e o vento sopra
a noite vazia.
RUA RUA RUA RUA RUA RUA RUA RUA RUA
A rua pisca
A rua sente
A rua vive
A vida fria.

RUA RUA RUA RUA RUA RUA RUA RUA RUA

RUA RUA RUA RUA RUA RUA RUA RUA RUA _Maickson Alves_ (21/02/06)

Anúncios
Esse post foi publicado em Base de raciocínio, Freico Nordon, Poema e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s