Arquivo do mês: outubro 2011

ENEM Que me Paguem Faço Essa Prova de Novo

Povo Burro! Povo Burro!A babaquice do ensino sonega qualquer coerência e relevante postura no cenário brasileiro. O que  era pra ajudar, hoje veta, constrange, e denigre a juventude estudantil. Sei que hoje mesmo, com a “corrida pelo ouro” _ a … Continuar lendo

Publicado em Base de raciocínio, Crítica, Freico Nordon, Política | Marcado com , , , | Deixe um comentário

A Felicidade Poe um Gosto Tão bom e Tão Fugaz na Boca!

  Como pode a felicidade ser tão areia em mãos sedentas? Porque ela dura tão pouco quando mais se precisa? Me pergunto se o estresse do cotidiano vale a pena à procura de um algo a mais… de alguma realização … Continuar lendo

Publicado em Base de raciocínio, Crítica, Freico Nordon, Poema | Deixe um comentário

Um Copo de Corpo

              Corpo copo Corpo copo Corpo copo Meus pés são como pás de areia que aram pedreira calçam chinelas de couve caminhando pela planagem tropicando em plantas de vagem e em muda que não … Continuar lendo

Publicado em Base de raciocínio, Freico Nordon, Poema | Marcado com | 2 Comentários

A Caravela 1ª

                                                                                … Continuar lendo

Publicado em Base de raciocínio, Crítica, Freico Nordon, Humor, Poema, Política | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Fazendo Mito

Não se esqueça!!!! Inflando as bochechas Nasce já de corcunda, Aos saracoteios, às queixas. A luz o excomunga. Tem nariz de ferro bom Fuma fuligem, ventão-poeira, Cresce às margens, com Brilhos em data “fevereira” À noite se veste com brisa … Continuar lendo

Publicado em Base de raciocínio, Crítica, Poema | Marcado com , , , | Deixe um comentário