Tinta do poema acabou!


 

Fui escrever poema

e me debandei!

Oche!Quero sentir!?

Quero versar?

Palavrear pra que?

Se tudo que sai

Da minha Bic

É tinta, mais querer!?

Foi então que a tinta acabou

Olhei pro lado, pro outro

Chorei suor dos dedos

Chorei lágrimas também

Pensei bastante

No que havia dito outrem…

E peguei um lápis cintilante

Por todo brilho

Nada de mais me saiu em versos.

Histórias banais

De fazenda interiorana,

Bolo de milho…

Nada de mais!

Então sorri pro lápis

E brinquei comigo:

-“Antes palavrear com Bic

Sem tinta e viço

Que ser poeta sem letra

Refil

Ou hospício!”

_Maickson Alves_

Anúncios
Esse post foi publicado em Base de raciocínio, Freico Nordon, Poema e marcado , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Tinta do poema acabou!

  1. Nara Aragão disse:

    Lindo poema!!! *-*
    Adorei todo o conjunto texto, imagem, ideia… TUDOOO!!!
    Mais uma vez com um lindo post meu menino!!!
    Parabéns!!!*-*

    Beijoooosssss

  2. freiconordon disse:

    Muito grato minha menina (tenho uma poetisa particular na minha vida!!! *-*)

    Que gostoso!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s