Enquanto um tal de Graciliano


Enquanto o regionalismo era ferido,

Nascido em berço Quebrangular

Dava as caras, franzino Ramos

Encaminhando, deliberadamente, o curativo à chaga.

Leiaa!

Enquanto o deleito sobre amores banais

Compreendiam a poesia suada duns puritanos,

Um tal dum Graciliano suava a compreender

A sonhada tristeza dum retirante: Fabiano.

À plenitude do cárcere corriam suas palavras,

Por entre as grades, loucas!

Transcrevendo toda sua situação conturbada,

Pondo as tripas em capítulos.

Sua prosa pelada satisfazendo_

Enquanto torturada_

Submetendo sua linguagem enxuta,

Conscientemente trabalhada, a eletro choques.

Devia suscitar uma repulsa ao escrever,

Pela selvagem, seca terra que comungava

Ou pelo habitante repentino, que no veio de imaginação,

Torna uma ‘lapa’ de alegria real.

Vão-se os primeiros pombos

Latejarem as cucas frias,

Sedentas da veracidade da terra.

Vão-se as palavras Gracilianas acariciá-las.

Vão-se as lágrimas salobras do diabo

Ficam-se as lágrimas doces do oceano seco.

Sobrenadante, o nobre suspeito, Graciliano

Que põe-se a dedicar à beleza, a dúvida.

Há também a prestação do encanto

Que ao olhar submisso, percebe em seu dono

O sono dos mortos ilegíveis.

Mas que principalmente, remete ao olhar

Poucas e lindas palavras de uma evolução.

Caminhando de mãos atadas: Êla e Ramos.

Estas críticas formadas, à carne submete

Tangendo o interesse hostilizado e feroz.

O saber instiga a todos

Todos que consomem a carne sedentos por sangue

E o privilégio concedido a Graciliano…

Será de carne que novamente virá?

Há conto mais cruel que o passante?

Sem termos pensados, o que inspira é sim

Porque com todas as fraquezas o homem se abate,

Trilhando sei lá o quê, mas com lágrimas no rosto

                                                                [enfático.

Vivo, Graciliano furtivo e cansativo.

Morto, Graciliano, pungido de atroz…

Direcionando-nos e conciliando nossas vidas secas.

sad

_Maickson Alves_

dsad

Quebrangular: Referência à cidade onde Ramos nasceu (Quebrangulo, RJ)

Suscitar: provocar, causar, fazer acontecer

Comungava: em que tinha fé, comunhão

Enfático: que dá relevo, realce

PS: Em homenagem a um exímio contador de estórias! Graças ao Graciliano!!!

Anúncios
Esse post foi publicado em Base de raciocínio, Freico Nordon, Poema e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s