O ‘Camlor’

 

 

Deixe o dedo moço do amor…

deixe-o contornar seu corpo

saborear de seu sumo

fruto

cutucar de tua boca os melhores

e mais saborosos beijos cadentes,

pois a ânsia de tudo

as perspectivas de mundo

nunca serão as mesmas depois!

Amar com a alma é uma dádiva

mas amar com a alma e o corpo…

_Temo-nos uma benção!_

_Maickson Alves_

Anúncios
Esse post foi publicado em Base de raciocínio, Poema e marcado , , . Guardar link permanente.

2 respostas para O ‘Camlor’

  1. Nara Aragão disse:

    Hum… que poema gostoso de ler!!! Interessante e muito verdadeiro…*-*
    (…) “mas amar com a alma e o corpo…” (…) é para poucos!!!

    Um beijo meu menino poeta…

  2. Maickson disse:

    Muito verdadeiro!! Ainda mais quando se sente, fica tudo mais fácil, a tinta escorre da caneta como riacho Ribeirinho!!! *-*

    Grato minha linda!!!

    Minha poeta!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s