O Vento e o Tempo

O VENTO E O TEMPO

Esse foi o segundo poema que escrevi, nessa época devaneava pelos sentimentos singelos que momentos quaisquer me proporcionavam: um mexer de xícara, um soprar de velinhas, um gotejar de chuveiro. Sempre gostei de dissertar sobre questões pacatas e com muita significancia – a dança do vento, o gosto da xícara e a velhice que espreita a todos.

Ilustração lindamente criada por uma artista plástica companheira de minha eterna doutrinadora de literatura Tânia. 

Anúncios
Esse post foi publicado em Base de raciocínio, Freico Nordon, Poema. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s