Arquivo do mês: abril 2011

Amor: A Cor do Verso

Toda vida tive pra mim que Amor era coisa errada de se pensar; pura invenção ou palavrinha certa pra se dizer em horas certas… Meus conceitos e prescrições sobre o assunto, persuadiram-me conforme meu raciocínio mandou e mudou – A … Continuar lendo

Publicado em Freico Nordon, Poema | Marcado com , , | 4 Comentários

Texto Metido a Bedelho

Texto Metido a Bedelho (Maickson Alves e Nara Aragão) Enquanto existe a esperança há vida… Enquanto existe a lida há a distância Distância esta que se faz próxima… Todo tempo longo torna-se curto ao término da jornada! E todo jornal … Continuar lendo

Publicado em Base de raciocínio, Crítica, Poema, Política | Marcado com , , | 2 Comentários

A Má Temática

A MÁ TEMÁTICA     Juro que os juros da prestação de meus serviços não virarão moda mediante a mediana de minha vida! A massa falida é incalculável em sua equação de despedida. Sou ordinário enquanto ando pelas ruas paralelas que são … Continuar lendo

Publicado em Base de raciocínio, Crítica, Freico Nordon, Humor, Poema, Política | Marcado com , | 16 Comentários

Um Passeio de Vento

UM PASSEIO DE VENTO                                                                           … Continuar lendo

Publicado em Base de raciocínio, Crítica, Freico Nordon, Poema | Marcado com , | Deixe um comentário

O Vento e o Tempo

O VENTO E O TEMPO Esse foi o segundo poema que escrevi, nessa época devaneava pelos sentimentos singelos que momentos quaisquer me proporcionavam: um mexer de xícara, um soprar de velinhas, um gotejar de chuveiro. Sempre gostei de dissertar sobre … Continuar lendo

Publicado em Base de raciocínio, Freico Nordon, Poema | Deixe um comentário